Filme "Na Cidade Vazia" lota Studio 77 na Namíbia - Jornal de Angola, 28-04-010

A exibição do filme "Cidade Vazia" da cineasta angolana Ana Maria Ganga, esgotou no fim-de-semana passado a bilheteira do Stúdio 77, em Windhoek. Mais de duzentas pessoas, entre angolanos e namibianos, assistiram ao longa metragem angolano.

A exibição foi promovida pela organização não governamental Africavenir Internacional e teve o apoio da Embaixada da República de Angola na República da Namíbia.

O filme “Cidade Vazia” aparece como o primeiro angolano a ser exibido na Namíbia. De acordo com o representante da Africavenir, Chhristian Mahnke, está previsto para o mês de Maio, a exibição do filme “O Herói”, do realizador angolano Zézé Gamboa.

De uma forma geral, a crítica local teceu comentários favoráveis ao filme, que retrata os graves problemas que afectam milhares de angolanos vítimas directas e indirectas das consequências do conflito que, duranca cerca de três décadas, devastou o país.

Para Christian Manke, a exibição do filme “Cidade Vazia” possibilitou a todos que o assistiram um melhor conhecimento sobre Angola e alguns dos principais problemas que enfrentou o seu povo, durante o conflito.

“Isso nos encoraja a trazer mais filmes angolanos para serem exibidos na Namíbia”, afirmou Christian Manke, acrescentando “que tem já os contactos em curso para trazer mais filmes angolanos para a Namíbia”. O filme “Na cidade vazia” é o primeiro realizado por Maria João Ganga. O cenário é Luanda, cerca de dez anos antes do fim da guerra. Ndala, menino órfão do Bié, o “herói” da trama é levado para a capital por freiras que perdem o seu rasto à saída do avião. O pequeno órfão foge e inicia uma caminhada de acertos e desacertos na cidade grande.

A jornada de Ndala que, entretanto, conhece Zé, menino que vive um herói na peça da escola e o leva a viver com uma prima prostituta, prende a atenção do espectador. Ndala perde-se em Luanda, perde a inocência e trilha caminhos até então desconhecidos que o conduzem a um final imprevisível.

Essa é a essência de “Na cidade vazia”, escrito em 1991 e filmado em 2003. Exceptuando a portuguesa Ana Bustorff que representa uma freira, quase todos actores são angolanos que já haviam trabalhado no teatro com Maria João Ganga.

Exibido em vários certames internacionais, recebeu o prémio especial do júri num Festival de Paris.

Africavenir Internacional é uma organização não governamental que se dedica a promoção do cinema africano na Namíbia, como forma de promoção e valorização da cultura africana em terra de Sam Nujoma. No seu trasbalho, a Africavenir é apoiada pela Fundação Friedrich Ebert, o Centro Cultural França-Namíbia, entre outros.

© Copyright AfricAvenir 2013 | RSS  Sitemap  Contact  Imprint | Français  Deutsch